A poda de árvores sempre me deixa meio entristecida

Eu sei que em algumas situações faz bem para a árvore, mas quando vejo a equipe de poda de árvores da prefeitura atuando na vizinhança eu fico com muita pena. Me dá uma sensação de mutilação, sabem?

Aconteceu na semana passada e eu passei dois dias acompanhando o trabalho, até confirmar que, embora tenha sido autorizada e visasse a segurança nas ruas, a poda feita em várias árvores da quadra onde moro não foi das mais assertivas: feita pela manhã (quando indicam fazer isso à noite, para que tenham a noite mais fresca para “cicatrizar” os cortes), em pleno verão (indica-se no final do inverno) e na lua errada (a fase de lua minguante é também ideal, já que a seiva das plantas refluem para a raiz).

E o que é o certo?

Na capital paulista “a poda de árvores em vias e logradouros públicos é normalmente feita pelas Subprefeituras entre os meses de abril e agosto. No entanto, se o munícipe constatar que os galhos de uma árvore estão encostados em fios da rede elétrica ou prejudicando semáforos e demais sinalizações de trânsito, deverá informar, pessoalmente ou por telefone, a Subprefeitura do bairro. Casos de emergência devem ser comunicados ao Corpo de Bombeiros (Tel. 193).”

Acredito que tenham sido casos assim os reportados na minha região, considerando inclusive o fato de muitas árvores terem causado acidentes na cidade de São Paulo nas chuvas intensas das últimas semanas. Menos mal…

Aproveitei e fui me informar sobre o assunto e encontrei um texto muito objetivo no blog Árvores Vivas para quem quiser saber mais sobre o tema:

“Podas de rejuvenescimento são mais indicadas ao final do inverno, pois é quando o crescimento vegetativo é retomado – sempre tenha certeza das fases da planta que deseja podar. A fase de lua minguante é também ideal, já que a seiva das plantas refluem para a raiz, fazendo com que a poda dos galhos e folhas desperdice menos seiva. E finalmente a poda no período da tarde permite que as plantas tenham o período noturno para cicatrizar os cortes.

A poda não elimina somente a parte áerea das plantas (folhas e galhos) mas também a vida no solo (fungos, bactérias, nemaltóides, etc) que dependem das “sobras” da fotossíntese eliminadas pelas raízes. A poda dificulta a ação desses microorganismos, que auxiliam na dissolução de minerais importantes na alimentação das plantas. Ou seja, está tudo ligado através da cadeia alimentar!”

Gentis, eles ainda indicavam o download de uma cartilha sobre o tema: Manual de Poda.

🙂

Eis que no dia seguinte, ainda no trabalho de recolher o material da poda, os moços que trabalham com isso mostraram uma atitude sustentável que me encantou (e a muitos amigos do Facebook que viram minha foto também): criaram apoios para vasos com partes aproveitáveis dos descartes das árvores.  Como disse Jessica Otte, “sustentabilidade não tem classe social como target primário, secundário e afins”.

Como solicitar a poda em casos particulares

Em São Paulo um departamento cuida das podas e é possível fazer contato neste link. Vale lembrar que mesmo em terrenos de propriedade privada não se pode podar árvores sem autorização: é obrigatório ter autorização, mediante solicitação por escrito, na Praça de Atendimento da Subprefeitura do bairro, contendo exposição de motivos e informação sobre a espécie da árvore. Em São Paulo estes dados devem anexar também croquis de localização da árvore no terreno, cópia do carnê do IPTU e de comprovante de endereço (conta de água ou luz). Se aprovada, a autorização será concedida somente após vistoria do local, efetuada pelo engenheiro agrônomo da Subprefeitura em que está localizado o imóvel.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook