A Ingênua

Soube por um release da estréia de A Ingênua, espetáculo que @maxreinert dirige e que compõe o XVII Festival de Teatro de Curitiba. Lendo o material da peça acabei me perguntando a mesma coisa que a atriz principal, Denise da Luz: “personagem equilibrado, saudável, bem resolvido, …dá teatro? Dá uma boa dramaturgia? Dá uma boa peça?” Acho sinceramente que não! Lembro de Gente como a gente, um dos filmes mais chatos que já vi na vida e que mostrava como pessoas normais e que não dão piti e são politicamente corretas sobrevivem a tragédias.
Se são os dramas e as tragédias, que se apoiam no aprofundamento dos conflitos e das emoções, que dão graça ao teatro, A Ingênua está no caminho. Usa a comédia para contar o desvio de caráter da personagem, que é uma “alterada” divertida fechando a trilogia iniciada com “Helena” – esposa neurótica de Bodas…(um ato cotidiano) que participou do FRINGE/2004 – e “Medéia” – a esposa/mãe que transforma seu amor em ódio para se vingar do marido.

Nunca vi um espetáculo da companhia teatral do meu amigo @maxreinert. Mas, pelo trabalho que ele realiza como editor de blog (no Nossa Via e agora No Ghetto), considerando o talento que ele tem para escrever crônicas no Pequeno Inventário de Impropriedades, imagino que seja um belo trabalho.

Max dirige a Téspis Cia. de Teatro desde 1998 e afirma que já está habituado a falar sobre o universo feminino. “Como o trabalho da Cia. está centrado em uma busca a logo prazo e a parceria com Denise já existe desde 1993, acabamos por optar por temáticas/espetáculos que tragam a presença de mulheres em conflitos marcantes. Nosso trabalho se apóia sobre a construção de trabalhos que privilegiem emoções fortes, lugares por onde a alma feminina está acostumada a transitar. Nesse novo trabalho a novidade é o humor presente na cena… deixamos a tragédia de lado e fomos explorar as situações patéticas que existem no mundo, sem cair na banalidade.”

Serviço:
  • O que: A Ingênua, da Téspis Cia. de Teatro (SC)
  • Onde:  Teatro Odelair Rodrigues (Av Sete de Setembro, 2436 – Centro, Curitiba, PR)
  • (o Teatro oferece convênio com o estacionamento Cetro Park, Rua João Negrão – 731)
  • Quando: 22 e 23 (dom e seg.) de março – 21h e 24 e 25 (terça e quarta) de março – 18h
  • Quanto: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia: estudantes, idosos e classe artística)
  • Sinopse: Uma mulher espera… aguarda “pacientemente” para ser atendida em uma entrevista de emprego. Enquanto aguarda vamos conhecendo seus sonhos, seus desejos e suas expectativas. Ele faz o que deve fazer. Mas nem tudo é como imaginamos e a situação começa a mostrar outras realidades não tão simples quanto o que aparentava no início. Até onde essa espera nos levará?
Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook