A escolha do amigo bicho

Enzo e Doti por você.
Enzo e Doti (Jack Russel) na praia do Leme

Nossas aventuras, estudos e pesquisas em campo para escolher um amigo bicho continuam. Estamos todos morrendo de vontade de ter um cãozinho em casa, mas como a casa é um apartamento e temos uma história complicada e recente com mordedura de cão, é preciso muito conhecimento e empenho para acertar.

Neste final de semana estivemos no Rio de Janeiro e encontramos a Doti (“filha” dos padrinhos do meu sobrinho). Giorgio ficou com medo porque ela é uma autêntica Jack Russel (o cão do filme Máscara) e por isso é animada – e muito inteligente -, mas meu filho gamou. Não a largou o tempo todo e ficaram brincando no calçadão da praia do Leme. Por conta da experiência da Verônica e do Caesar com esta raça estamos quase nos decidindo por ela para ser o novo membro da nossa família.

Abri este debate no Mãe com Filhos e na comunidade Porque se sujar faz bem by OMO no orkut. Contei da hamster Jujuba (ela era gorda e parecia uma bala jujuba mesmo) e pude relembrar boas histórias com o Buddy (tem muitas fotos dele e de outros em Todos os cães são lindos no meu flickr). Andei lendo uns livros (Feliz pra cachorro, de Ana Claudia Bessa – sim a editora do blog O Futuro do Presente -, da CMS Editora, e Salvando um vira-lata, de Mark Levin, da Ediouro) e nos convencemos dos benefícios dessa relação. E descobri que uma pesquisa da Universidade de Warwick concluiu que o sistema imunológico de crianças com animais de estimação em casa é mais forte e que elas faltavam menos à escola. Os pequenos que convivem com animais têm mais autoestima, autoconfiança, autonomia e responsabilidade. Além disso, interagir com um bichinho ajuda no desenvolvimento da comunicação não-verbal, da compaixão e da empatia.

Precisa mais? Agora é sair em busca da nossa cara-metade.

P.S. Foi ótimo ler na comunidade do orkut os comentários e as lembranças deliciosas (e defesas apaixonadas) de quem teve cachorro ou gato em casa. Quem ainda tem e quem, como minha amiga Ju, não tem até hoje. Ela cuidava amorosamente todas as noites do Tito, o cão bombeiro do batalhão da esquina, mas ele faleceu em serviço há duas semanas.

🙁
Se tiver pique conte sua história lá também, quem sabe sensibilizamos mais pais a deixar os filhos terem esta experiência maravilhosa com os animais!

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook