A Educação vai se reeducar? E o que as famílias interativas podem fazer para isso acontecer?

Na Campus Party, logo depois do debate sobre Educação e Tecnologia (A Educação vai se reeducar?), fui entrevistada pela TV Sala e hoje pude ver o vídeo. Normalmente, confesso, não gosto de me ouvir nas entrevistas, mas este me deixou feliz! Nele eu falo sobre temas que me são caros e que não consegui defender como gostaria no debate, sobre a importância das famílias se conectarem com as novas linguagens digitais e saberem lidar com toda essa situação off-line e online em família. Estes temas são a essência do tema que eu chamo de “Famílias Interativas”, da necessidade de que estejamos cada dia mais linkados ao universo uns dos outros, usando e abusando da tecnologia para interagir com quem nos importa.

E se você ficou curioso, linko e incorporo o vídeo integral do debate aqui.

[update]

Sempre gentil, Aline Kelly (do blog Sustentável 2.0) me avisou deste outro vídeo do mesmo dia, entrevista concedida à Secretaria de Educação do Estado de São Paulo:

[/update]

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook