entretenimento / relacionamentos

Sei que muitas leitoras e amigas vão discordar de mim, mas, pelo que li de 50 tons de cinza (apelidado por alguns de “o pornô da mamãe”), concordo com o viés da crítica de Luís Antônio Giron. Comecei a ler o livro ontem, no “vôo de cruzeiro que se tornou a ponte aérea por conta das chuvas em SP” (sim, é daqueles romances para ler em poucas horas) e conclui o mesmo que ele:

“O soft porn ilude as leitoras: ao apresentar alguns truques às mulheres, torna- as mais submissas.”

E já que ele citou Paulo Coelho, outro autor de livros fáceis de ler, digo que Brida, um dos primeiros romances dele, fez mais pelo que a protagonista Ana chama de “minha deusa interior” do que as cenas de sexo entre Anastasia e Christian.

Mas eu li um com 18 anos e outro com 39, como comparar? No entanto, mesmo no possível “sentido educativo”, não recomendaria 50 tons de cinza para jovens sexualmente inexperientes como a personagem (praticamente extraída de um romance de Jane Austen!) que sonha com clássicos femininos do século XIX, tampouco para mulheres que não estão vivendo uma boa relação amorosa estável. Certamente que criará mitos e conceitos – além as necessidades fisiológicas – complicadas de atender.
😉

Agora, para quem gosta de ler e tem o hábito de ir além nas leituras, as referências são bem legais. No hotsite brasileiro a editora incluiu uma “trilha sonora” da história com as músicas citadas na trama (com trechos de ópera e a quinta Bachiana de Villa-Lobos a Kings of Leon e Bruce Springsteen). E as referências litarárias, como as do começo do romance, são obras de domínio público que podem ser baixadas gratuitamente pela internet. Como veem na imagem da minha estante virtual no iPad, eu baixei e fui conferir para entender melhor o contexto da personagem que parecia tão inocente que soava irreal.

P.S. Notaram que minhas leituras nem são tão “menina” assim, né? Neste ano li os 4 livros de Guerra dos Tronos (estou no quinto) e podem ser considerados também livros adultos.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas