5 anos do blog

Montagem sobre foto de deyna03 http://www.sxc.hu/photo/1163242Pois é, foi sem bolo nem festa, mas o A Vida Como A Vida Quer fez 5 anos no dia 19 de abril. Em 2005, quando comecei a blogar para contar aos familiares de Curitiba como estava nossa adaptação à vida paulistana (morávamos lá e Gui recebeu uma proposta de trabalho aqui, trazendo a família toda para longe e tios e avós) eu já falava de muita coisa que está presente aqui hoje.

Nostalgia, relembrando os anos 70 e 80, redes sociais (eu me referia com frequência ao orkut), o movimento slow food e momentos filosofando uma slow action perante a vida depois de ver algo na TV… está tudo lá em 2005 e, pelo que noto, vai continuar por aí por mais tempo, pois este meu filhote (o blog) já é uma parte inseparável de mim.

Nesta noite eu e @juvilela, uma amiga online que se tornou braço direito em alguns jobs e faz parte da rede MdeMulher, vamos colocar no ar um novo layout. A Ju me deu de presente um, feito com muito carinho e imensa paciência dela com minha falta de tempo para aprovar as coisas, mas que, enfim, tem um jeito no qual eu me vi. Os pespontinhos do jeans, as redes sociais com um quê de calor humano, o fundo azul com círculos lembrando o conceito de kharma e dharma. E não podiam faltar as fotos do nosso cotidiano, pois, enfim, este blog continua sendo um diário de uma mãe (jornalista, cidadã e entusiasta das mídias sociais) que mora numa metrópole e adora clicar com seu smartphone os instantâneos da vida aqui.

Agradeço imensamente a quem está comigo desde o começo (sim, incrível, tenho bons amigos do meu começo de blog) e igualmente a quem passa por aqui agora e deixa sua marca nos comentários (em 1995 posts publicados são 7300 comentários!).Parece piegas, mas é uma verdade: vocês dão significado a uma parte muito importante da minha vida. Obrigada de coração.

E peço um pouquinho de paciência porque nesta noite ainda estaremos fazendo ajustes e o blog pode ficar meio desconfigurado.

😉

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook