Das 100 coisas para fazer com seus filhos antes que eles cresçam: Cápsula do Tempo #100coisas

Hoje começaremos aqui uma série de 20 semanas de muita diversão. Como mãe de “tweens” (apelido que se deu, em inglês, para os pré-adolescentes), sinto que a infância dos filhotes vai ficando para trás, mas a vontade de brincar e de conviver em família não precisa seguir este caminho, não é mesmo? É hora de reinventar os papeis, as brincadeiras, os passeios e as viagens, mas não precisa ser uma hora de deixar os filhos sozinhos nem de se sentir menos importante no cotidiano deles.

Como blogueira (e jornalista com foco em comportamento e cultura) eu noto que justamente a faixa etária dos meus filhos é a esquecida ou negligenciada nos movimentos em prol de uma infância saudável, com o brincar desestruturado e a presença amorosa dos pais que tanto defendemos quando eles são pequenos. Por isso o convite da Royal  para a ação 100 coisas para fazer com seus filhos antes que eles cresçam foi recebido por toda família com muito carinho e alegria.

A cada semana teremos um desafio e contaremos em vídeo e texto como a atividade nos impactou.

Nosso primeiro desafio, que posto hoje aqui e está disponível na fanpage da marca, é emblemático: reunir objetos queridos para montar uma cápsula do tempo.

Veja abaixo o que nós escolhemos e depois conte o que você colocaria na sua!

Quando voltei do Japão, grávida de seis meses do meu filho mais velho, uma “mania” da imprensa era falar em cápsulas do tempo. Era virada de 1999 para 2000 e reportagens surgiam aqui e ali falando para guardarmos para o futuro uma caixa com nossas coisas especiais. A ideia era armazenar objetos ou informações e guardá-los para possam ser encontrados pelas gerações futuras.

De certa forma fiz um pouco disso. Ao chegar de volta ao Brasil e comprar nosso novo apartamento, eu e meu esposo reabrimos toda uma vida que tinha ficado aqui em “stand by” e fomos recebendo também as lembranças das nossas infâncias, enviadas por nossos pais e tios, uma chance de, com a chegada do primeiro neto (das duas famílias), trazer tudo de volta e finalmente misturar as lembranças das duas famílias. Meu mais velho faz doze anos no dia das mães deste ano e eu estou aqui, novamente, montando minha caixa mental de memórias, recriando o que passou.

Por outro lado, nas brincadeiras com o mais novo, eu me entrego a tudo ciente de que, como os guardados das cápsulas do tempo, a infância das crianças passa rápido e ao mesmo tempo em que nos sentimos felizes por cada hora sentado no chão para brincar de legos ou cada volta de bicicleta, a cada colo e aviãozinho de comida, sentimos uma saudade enorme do que não dá tempo de fazer.

Neste final de semana fizemos uma cápsula nossa. Aproveitamos uma caixa que ganhamos e tem formato de “mala de viagem” e reunimos objetos que queríamos guardar para a posteridade. Queria ter guardado saquinhos de arroz (o jogo das Marias) com os quais brincava com minha avó japonesa e os elásticos de pular, mas já não os tenho e me perguntei se resistiriam. Mas foram para a caixa figurinhas dos álbuns que colecionamos, os primeiros dinossauros e soldadinhos de plástico daquele filme favorito, desenhos e recadinhos de amor (“te amo, mamãe!”), as lembranças de viagens, flores já secas que foram coletadas em parques por eles em passeios memoráveis e enfeitaram meu cabelo. Teve também provocação saudável, afinal, aqui temos dois meninos: um disse que ia guardar o outro na caixa e a resposta foi: “você vai ficar velhinho e eu continuarei criança brincando com seu neto”.

E aí pensei: meu bisneto! Será que vou brincar das mesmas coisas com eles como eu ou será tão diferente que ao invés de ensinar eu vou aprender? Só o tempo vai dizer! Mas espero estar lá para viver, com a posteridade, tudo isso que alegra meus dias atuais.

Royal e AVidaQuer 100 coisas para fazer com seus filhos antes que eles cresçam

Post da série na qual, por 20 semanas, brincaremos fazendo atividades propostas com o mote “100 coisas para fazer com seu filho antes que ele cresça“.
Acompanhe a série no @avidaquer @blogcoisademae  @dica_de_mae @pontecialtweet  @RoLippi e @cozinhapequena e na fanpage da Gelatina Royal que nos convidou para brincar!

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook