#100coisas Brincando de fantasias

20120725-143609.jpg

Uma das lembranças mais queridas que tenho da primeira infância dos meus garotões era sair com super herois, bombeiros ou jogadores de futebol pela rua, vendo a carinha feliz dos meninos que, empertigados, desfilavam e respondiam aos “galanteios” e brincadeiras das pessoas. Sempre estimulei a fase das fantasias, animando-os não só a usar as que ganhavam (tivemos até escudos de gladiador romano e uma vez participamos de um desfile de fantasias como cavaleiros), mas também a criar com materiais que tínhamos novas formas de sermos os personagens queridos.

Quando recebi o desafio desta semana das 100 coisas para fazer com seus filhos antes que eles cresçam e vi que era fazer um desfile fantasiada, deixando que os meninos escolhessem no meu guarda-roupas o que eu vestiria, lembrei disso. Mãe de menino, nem pensei que eles iam escolher para mim uma roupa no meu guarda-roupas e me ver desfilar… homens não têm muita curiosidade nem paciência com atividades assim. Felizmente, brinquei muito (mesmo) disso com minhas irmãs, usávamos as roupas da minha mãe e fazíamos desfiles ou apresentações de dança!

O que meus filhos adoram é inventar histórias. RPG, a brincadeira que foi mania no meu tempo da faculdade, é uma das suas favoritas e o que os deixa “ocupados” até mesmo viajando de carro ou de avião. Basta ficar sem ter o que fazer que eles começam a “fazer de conta” que são personagens e saem criando diálogos. Os pais, claro, entram na brincadeira facilmente.

20120725-143642.jpg

Foi misturando esta brincadeira com o teatro, atividade que eles fazem regularmente na escola há mais de dois anos e que sempre fez parte do nosso cotidiano de “consumo de cultura em família”, que tivemos a ideia de fazer deste desafio uma brincadeira teatral. Soubemos que a exposição Georges Méliès, O Mágico do Cinema, estava no MIS, trazendo uma chance de diversão garantida: vestir fantasias inspiradas em seu filme Viagem à Lua e encenar uma pequena aventura na locação cinematográfica montada no museu.

Fomos lá e acertamos. Foi divertido ver o que os meninos escolheram para mim: uma roupa de lagarto lunar com cabeça de sapo. Sem querer (ou querendo!), eles me fizeram encarar minha antipatia por anfíbios e répteis. Me senti a Cuca do Sítio do Picapau Amarelo, sabem, usando aquele rabão e arrastando-o pelo palco! Os dois contracenaram comigo por uns minutos, mas logo vi que a verdadeira “batalha” lunar seria entre o macaco lunar Enzo e o astronauta Giorgio, que, no meio da alegria da sua vitória, tira o capacete e se sente sufocar com o ar da Lua!

20120725-143749.jpg

No final nos divertimos muito e o papai entrou na brincadeira, usando fantasia de mágico espacial. Voltamos para casa animados, mais leves com as invencionices que falamos nas nossas atuações e cientes de que é preciso se despir dos papeis do cotidiano para poder descobrir novas formas de conviver e de demonstrar o amor e o valor do outro na nossa vida.

O desafio nos convidava a deixar que o filho, sempre vestido e cuidado por nós, sob nossa orientação, pudesse tomar o papel de orientador, tomando decisões que nós acataríamos. Fizemos isso porque fomos dirigidos na brincadeira, atuamos e brincamos com a naturalidade infantil, reforçando nossos laços sem hierarquias rígidas, com oportunidades de experimentação.

🙂

P.S. Claro que depois vimos o filme A invenção de Hugo Cabret, que prestava homenagem e trazia o universo de Méliés para as crianças, completando nossa tarde cultural.


Royal e AVidaQuer 100 coisas para fazer com seus filhos antes que eles cresçam

Post da série na qual, por 20 semanas, brincaremos fazendo atividades propostas com o mote “100 coisas para fazer com seu filho antes que ele cresça“.
Acompanhe a série no @avidaquer @blogcoisademae @dica_de_mae @pontecialtweet @RoLippi e @cozinhapequena e na fanpage da Gelatina Royal que nos convidou para brincar!

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.